quinta-feira, 14 de março de 2013



RECORDANDO O QUE ESCREVI HÁ 5 ANOS!!!!


REFLEXÕES!
A austeridade e os sacrifícios não podem ser pedidos apenas aos trabalhadores em geral! O exemplo tem de vir de cima!
Numa altura em que o Governo nos vai apertando cada vez mais o cinto alegando que a crise a tal obriga, é um autentico ultraje vermos que o ESTADO gastou entre 2008 e 2010 mais de 90 milhões de euros só em combustível, 36 milhões em estudos,  13 milhões em decorações de Natal , 14 milhões em festas e foguetes,  quase 1,5 milhões em brindes e, pasme-se, em café cerca de 950 000 € ( 190 mil contos, em escudos).
Em Junho de 2008 escrevi nesta coluna o seguinte : ‘Mudaram-se os tempos!...Mudemos também os nossos hábitos! …produzimos pouco e esbanjamos muito. Infelizmente é a prática comum em todos os patamares da nossa sociedade. Desde as estruturas do Estado até às famílias, não tem havido a mínima preocupação em combater o desperdício e aumentar seriamente a produtividade.’
Pelos vistos, de 2008 para cá nada mudou, sendo que, no que diz respeito a despesas do Estado, até piorou.
Contudo, o Governo quando meteu a mão ao bolso e verificou que o dinheiro escasseava, foi lesto a cortar nos salários da Função Pública e a aumentar o IVA em todos os escalões. Porém, não anunciou quaisquer medidas urgentes no sentido de travar o despesismo instalado em toda a máquina do Estado.
Os contribuintes não são obrigados a pagar € 331 000 ao Tony Carreira ou € 256 000 ao meu amigo Quim Barreiros.
Verifica-se, numa consulta pormenorizada ao Site da transparência, há que não o esconder, um autêntico regabofe em algumas autarquias que gastaram cerca de € 14 000 000,00 só em festanças e foguetes.
Afinal Medina Carreira tem razão ‘somos um País de mendigos mas com hábitos dignos da Arábia Saudita’
Tenho para mim que, e é por demais evidente, se houvesse vontade e coragem política, se poderia reduzir significativamente o défice sem ter de aumentar violentamente os impostos.
É claro que uma das medidas importantes seria a revisão profunda da divisão administrativa do País, que levasse à extinção de umas largas
dezenas de Municípios que, nos dias de hoje, não fazem qualquer sentido. O mesmo se aplicando a umas quantas centenas de Juntas de Freguesia.
Terminar com a loucura em que se tornaram as mais de mil empresas municipais com a sua catrefada de gestores seria igualmente uma medida oportuna.
No poder central muito haveria também a cortar, recordo que só no Governo há cerca de 40 assessores de imprensa com os respectivos motoristas e secretárias.
E quanto às dezenas de Institutos Públicos e Empresas Públicas?
Quanto se pouparia se fossem eliminados muitos deles , reduzidas as suas Administrações e se fossem banidos os chorudos prémios que lhe são atribuídos?
Os Partidos apenas pensam nos seus próprios interesses. Ainda agora, colocados perante uma hipótese de redução do número de Deputados na Assembleia da República, a maioria deles recusou tal hipótese.
Enquanto por um lado criticam o PEC, por outro, defendem TGVs , Aeroportos e Novas Travessias sobre o Tejo. Com partidos assim, concordo que é difícil a saída da crise.
Tenhamos fé e esperança!

segunda-feira, 14 de maio de 2012

BALADA DO POVO QUE PASSA


Pergunto ao Povo que passa

Que pensa do seu País…!

O Povo, sente a devassa

E o Povo já nada diz!



Em silêncio cala a revolta

Com medo de ser infeliz..

A esperança ainda lhe volta

Quando olha o seu petiz!



Ele sabe desta bandalheira,

Em que se move o poder.

Já é tão grande a asneira…

Que sente vontade de bater!



Exclama enraivecido e triste

Pensando em tanta desilusão

Há sempre alguém que resiste

E este Povo um dia, dirá não!

JPL















sexta-feira, 30 de março de 2012

REFLEXÕES!!

Reforma da Administração Local…será a reforma do século se houver coragem para a concretizar.

Quando, no Governo do Engº. Sócrates, o então Ministro da Administração Interna, Dr. António Costa, admitiu a necessidade de extinguir algumas Freguesias e Municípios, eu, não só elogiei esta afirmação como disse que se ele concretizasse tal intenção, seria a reforma do século.
Continuo a pensar que a Reforma da Administração Local e Regional será a grande Reforma do Século.
A divisão administrativa do País não pode ser uma vaca sagrada onde se não pode tocar.
Ela deve ter sempre em conta quer a evolução demográfica quer a melhoria das acessibilidades e, como sabemos estas duas componentes estão em permanente mutação.
Logo, não podemos continuar a defender a existência de concelhos que, pela proximidade de outros ou pela desertificação que os atingiu, apenas se transformaram num fardo para o Orçamento do Estado que, todos nós, acabamos por pagar.
Cito apenas um exemplo, pelo facto de aí ter estado na passada semana: A sede de concelho de Castro Marim dista da de Vila Real de Santo António, cerca de 4 Km.
Se as acessibilidades fossem más, ainda se podia compreender, mas com as actuais vias rodoviárias é de todo incompreensível.
O mesmo se passa com concelhos cujo número de eleitores se situa muito abaixo dos cinco mil e com fortes tendências para diminuir. No nosso Distrito temos, pelo menos três, e nos últimos dez anos tivemos um decréscimo populacional superior a 10%.
Com as freguesias o panorama é o mesmo.
A cidade de Castelo Branco, por exemplo, tem apenas uma freguesia enquanto a vila de Sintra tem três.
São nitidamente um exagero as 4 259 freguesias que actualmente temos.
É pois incompreensível que os dirigentes políticos, a quem compete decidir, continuem, por razões eleitoralistas, a insistir no actual quadro sabendo que o dinheiro para o manter está a sair dos nossos bolsos.
O actual Governo prometeu também mexer no assunto e foi anunciada, com pompa e circunstância, a grande reforma da Administração Local.
Parecia que, finalmente se iria dar um passo significativo na direcção certa.
Porém, ao que começamos a ver, receio bem que tudo possa não passar de um mero conjunto de afirmações cheias de boas intenções.
São, obviamente, positivas as medidas que apontam no sentido de uma redução do número de vereadores, de fusão de Juntas de Freguesia ou de uma reavaliação das empresas municipais.
Recordo que nos 308 municípios há 2 708 membros de executivo sendo que, destes, cerca de 1 200 tem funções em regime de permanência. Se a tudo isto acrescentarmos os 13 697 membros de executivo das juntas de freguesia, podemos imaginar o que se poderia poupar com uma racionalização de tudo isto.
Contudo se não for assumida uma corajosa redução do número de municípios, a reforma corre o risco de se ficar pelo meio do caminho.
As reformas a conta gotas nunca deram bons resultados.
Seria aliás desejável que os dois maiores partidos se entendessem nesta matéria para que, esta grande reforma, não só se não ficasse pelo caminho, como tivesse cabeça tronco e membros.
Os interesses instalados são muitos e, na devida altura, começarão a aparecer os arautos da descentralização? a tentarem manipular as populações contra o papão do centralismo do Terreiro do Paço.
E já conhecemos a tendência dos nossos partidos políticos para porem acima do interesse do País os seus próprios interesses eleitorais.
Faço votos para que, desta vez, eu me engane e aquela que considero a grande reforma do século se concretize com o apoio da maioria dos partidos políticos.
JPLopes

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

EURO...QUE FUTURO?

EURO! Um sonho à beira do fim?
Quando em Janeiro de 2010 aqui aventava a possibilidade de Portugal ter de sair do Euro, estava longe de pensar que a moeda única estaria, no final de 2011, a beira da sua desagregação.
Na passada semana, a maior plataforma do mundo de transacções cambiais – a ICAP- estava já a testar os seus sistemas para voltar a trabalhar com a antiga moeda Grega , o Dracma. Sinal de que essa possibilidade é uma forte hipótese.
Em Portugal, a maioria dos economistas começam a coincidir na inevitabilidade de Portugal ter de vir a sair do Euro, mesmo que este se salve.
O economista Silva Lopes, até há pouco tempo, defensor do Euro, já admitiu recentemente que pode não haver saída para o mesmo.
Por sua vez, João Ferreira do Amaral, conhecido economista que sempre colocou reservas à nossa entrada no Euro, admite também que ‘o fim da Zona Euro tal como nós a conhecemos está à vista. Julga mesmo ser inevitável.’
Contudo, perde-se mais tempo a procurar os culpados do que a encontrar as soluções adequadas para enfrentar esta eventualidade.
Quanto aos culpados, é evidente que os há. Desde logo poderemos começar por nós próprios que, embarcamos numa cultura de consumismo insustentável pensando que esta caminhada nunca mais teria fim.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

MOMENTO DE POESIA!!

VOAR
Quero para bem longe voar!
Para onde possa levar comigo
Todos os meus sonhos de luar
Que sempre os sonhei contigo.

Quero andar pelas nuvens brancas
Como um pássaro trinando…
Beijando gotas de água tantas
Até que me esteja cansando…

E quando já exausto, assim…
Me lançasse nos teus braços
E te sentisse junto de mim..
Reforçando-me estes laços…

Que parecem nunca ter fim..
Quero para bem longe voar!
E, se lá longe me sentir feliz.
Que seja para não mais voltar!
JPLopes

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Cuidado! Não há mais furos para apertar o cinto.
Terminou o Verão! Aliás um Verão muito envergonhado. Já que os verdadeiros dias de calor se contaram pelos dedos.
Talvez por isso, a chamada ‘rentrée política’, de quente também não teve nada.
Porém, a ferver estão quase a ficar os contribuintes com as mil e uma maneiras com que lhe estão a sugar os bolsos.
A carga fiscal está a atingir os limites do suportável e, cada dia que passa, surgem mais medidas que, indirectamente, entram nos bolsos dos portugueses. É o agravamento do IVA, são os transportes, é a eliminação das deduções com a saúde e educação em sede de IRS, vai ser o aumento das taxas moderadoras na saúde, a cativação de 50% do subsídio de Natal eu sei lá que mais.
Com todas estas medidas, estamos a assistir ao desaparecimento da chamada classe média. Os ditos ricos safam-se facilmente pois só lhe cortam no que sobeja e os mais desfavorecidos vão fugindo aos impostos por todo o lado num mercado de trabalho paralelo..
Resta a classe média para suportar a maioria da sofreguidão da máquina fiscal.
Todos sabemos que estas medidas foram provocadas pelo lastimável estado em que o anterior governo nos deixou as finanças públicas. De tal modo evidente que ele próprio teve de se submeter às regras impostas pela Troica FMI/BCE.
Já é mais difícil compreender a razão porque, sistematicamente, em vésperas de eleições, os partidos políticos, através dos seus dirigentes, fazem promessas que sabem não poder cumprir. Só pode haver duas razões: MENTIRA ou IMCOMPETÊNCIA.
Não se pode prometer que se não aumentam os impostos para depois se fazer o contrário.
São situações destas que descredibilizam a política e os seus agentes. E que, mais tarde ou mais cedo, minarão a própria democracia.

JPL

quinta-feira, 7 de julho de 2011

MOMENTO DE POESIA!

HORAS
Há horas em que desespero
Há horas em que me alegro
Há horas mortas e sinistras
E horas de angústias infinitas.

Há horas lentas e de solidão
Há também horas de aflição
E outras de muita felicidade
Há até horas de pura vaidade

Das minhas horas não sei como falar!
Umas são de tristeza, outras de alegria
Umas passam depressa outras devagar

As minhas horas, um dia vão terminar
Só não sei se será.. em lenta agonia..
Ou num rápido alívio que me vai dar.
JPL

sexta-feira, 6 de maio de 2011

REFLEXÕES!

RENEGAR A HISTÓRIA…E AS ORIGENS?
Quem se não lembra da rapidez com que o Governo PS se apressou a mandar retirar os crucifixos das salas de aula, como se tais símbolos fossem sinais demoníacos contra as liberdades humanas ?
Como houve rapidez em apagar os sinais da nossa história e da nossa memória, mas como foram lentas ou inexistentes as reformas de que o País necessita!
Contudo, há quem não tenha a memória curta.
No passado dia 18 de Março, um Acórdão do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, em Estrasburgo, considerou que os crucifixos pendurados nas salas de aula italianas não eram contrários ao direito.
Ficam assim a prevalecer os critérios nacionais.
Por isso a Itália mantém os crucifixos, Espanha ainda não tomou uma decisão e na Alemanha se aconselha a serem tidas em conta as opiniões dos vários interessados.
Mas eis que, em Portugal, o Governo foi tão lesto a mandar retirar os Crucifixos das escolas.
Que ganhou com isso o País?
O mesmo que ganhou com essas grandes reformas estruturais ‘do casamento dos homossexuais e do aborto’.
Enfim, são tudo questões de prioridades!
As nossas foram estas, por isso, estamos onde estamos, ou seja, num autêntico buraco para o qual não encontramos saída, nos tempos mais próximos.
JPL

sábado, 30 de abril de 2011

AUTO-ESTIMA!

FUTEBOL…E AUTO-ESTIMA!
No meio de toda esta telenovela, cujos protagonistas já nos vão causando náuseas, mas que insistem em nos invadirem o sossego do lar com boatos, contradições, mentiras, insinuações e outras tantas negações (refiro-me obviamente às negociações que envolvem a Tróica, o Governo e os partidos políticos), valha-nos ao menos o Futebol para nos puxar a Auto-estima um pouco para cima.
Efectivamente, no campo do futebol vamos ter uma final europeia apenas com clubes portugueses.
Temos de reconhecer que é algo, talvez inédito em Portugal.
Tal proeza levou-me a analisar as causas de tamanha façanha. Porém, e após varias pesquisas, a conclusão a que cheguei não foi lá muito animadora.
Escalpelizando a composição das equipas com maiores probabilidades de estarem na final, cheguei à conclusão que são constituídas por uma maioria de profissionais estrangeiros.
Daí a ter concluído que, afinal nós só somos bons porque temos estrangeiros que nos ajudam a tal, foi um passo!
Foi então que dei comigo a pensar que talvez tivesse encontrado, finalmente, uma saída para a nossa crise.
Se as equipes que nos têm governado, nos conduziram a este estado de desgraça e não têm estrangeiros, porque não havemos de resolver o problema tal como o resolvemos com o Futebol?
Não seria muito complicado e, tenho a certeza, até ficaria mais barato!
Comprávamos meia dúzia de políticos/gestores e entregávamos-lhe a governação do País.
De uma coisa tenho a certeza. Pior não seria e pouparíamos muito dinheiro.
Já repararam que nem precisávamos de gastar rios de dinheiro em eleições nem sequer de ter de aturar aqueles enfadonhos debates na Assembleia da República?
Eu já dei o meu contributa para a solução da crise, outros que façam o mesmo.
Até à próxima!
2011-04-30
JPL

terça-feira, 19 de abril de 2011

PORTUGAL!!!!


REFLEXÕES!
Salvem Portugal! Onde estão os homens de Estado do nosso País?
É com profunda tristeza e um misto de revolta que escrevo hoje esta minha crónica.
Tristeza, por ver o estado a que os nossos governantes deixaram chegar as nossas finanças e a nossa economia.
Revolta, pelo facto de os responsáveis pela governação e não só, não terem tido a competência suficiente para preverem, a tempo e horas, no que isto ia dar.
Em Janeiro de 2009 afirmava eu, aqui nesta coluna: ‘ reduzir a dimensão da nossa crise apenas ao problema surgido no mercado financeiro internacional, fruto de uma economia de casino, é tapar o Sol com uma peneira’ e adiantava, ‘pensar que tudo se resolverá deitando montes de dinheiro em cima dos problemas é irresponsabilidade que todos vamos ter de pagar mais cedo ou mais tarde’.
‘O problema de fundo é que nós estamos, há muito tempo, a viver muito acima das nossas possibilidades. E não é necessário ser bom economista para prever que tal estado de coisas não se irá poder manter por muito mais tempo. Com ou sem crise no mercado financeiro.’
E terminava a mesma crónica dizendo: ‘nunca se justificou tanto a existência de um pacto de regime, nomeadamente entre os dois maiores partidos com assento parlamentar, que ponha os interesses do País acima de todas as tricas partidárias’
.
Tudo isto foi dito há mais de dois anos! E que foi feito de então para cá?
Continuou-se a falar em TGV, recusou-se a diminuição do número de deputados, não se extinguiram centenas de Fundações inúteis nem outros tantos Institutos, compraram-se frotas de novos e luxuosos carros, algumas empresas públicas deram indemnizações milionárias a gestores que saíram, não se racionalizou a atribuição e uso de cartões de crédito a gestores e governantes, não se moralizaram os gastos exagerados em muitas autarquias nem se encarou a possibilidade de extinção de muitas delas, etc..etc.
E, repito, já lá vão mais de dois anos.
Se, nessa altura, o Governo tivesse tido a capacidade de prever tudo isto e tivesse feito as reformas adequadas solicitando um pacto de regime à oposição, seriam necessários agora todos estes sacrifícios?
É evidente que não!
Mas como diz Clarke – ‘o homem político só pensa nas próximas eleições e o Homem de Estado pensa mais nas próximas gerações’
Há uma evidente falta de sentido de Estado nesta geração de políticos que nos dizem representar.
E julgo mesmo, que no momento em que escrevo estas linhas, ainda há quem pense que estamos no melhor dos mundos.
Há todavia um aspecto que não posso deixar de referir aqui, é a estratégia do ‘passa culpas’. Está a tornar-se uma doença crónica dos nossos políticos.
A maior e primeira preocupação é a de atirar com as responsabilidades para cima de outros.
Mas a maior responsabilidade é efectivamente de todos nós.
Queremos ter uma sociedade só de direitos e bem estar sem contudo nos preocuparmos com os nossos muitos deveres.
Sabemos que os recursos do Estado provêm dos nossos impostos, mas estamos sempre prontos e disponíveis para a fuga ao fisco.
Estamos conscientes de que só há segurança com o respeito aos agentes da autoridade, mas estamos permanentemente a atacá-los;
Queremos uma juventude educada, mas criticamos permanentemente os professores;
Queremos bons políticos mas não lhes queremos pagar o justo;
Queremos combate à corrupção mas depois elegemos autarcas corruptos. Exigimos bons salários mas escasseia-nos o brio profissional, o sentido de pontualidade, e por aí adiante.
Fugimos de dar uma ajuda a um pobre mas depois gastamos dez vezes mais em jantaradas ou jogos de futebol, sendo que, estaremos prontos para exigir solidariedade para nós.
Se não mudarmos este nosso comportamento nunca iremos lá.
Por tudo isto, termino esta minha crónica com a mesma tristeza e revolta com que comecei, porém, com um forte apelo a todos nós em geral e à classe política dirigente em especial – PONHAM PORTUGAL ACIMA DOS VOSSOS INTERESSES OU DOS VOSSOS PARTIDOS, entendam-se de uma vez por todas, ou então desapareçam e deixem-nos em paz.
2011-04-03

JPL

segunda-feira, 18 de abril de 2011

MOMENTO DE POESIA!!

Amores e ódios

Amo as flores e o céu azul

Odeio armas e as bombas.!

Amo o olhar meigo dos cães

E detesto a fome e a guerra!

Amo o amor de mãos dadas

Repudio a vaidade e o ódio!

Amo as claras madrugadas,

Angustia-me a noite escura!

Amo o sorriso das crianças,

Que são a pureza do mundo!

Amo-te a ti, que me amas,

Com um amor tão profundo!

JPL

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

A LUTA É ENTRE RADICAIS E MODERADOS...

Alerta vermelho no Magrebe e não só!
Quando, no dia 5 de Janeiro, regressei de uma viagem à Tunísia, embora tivesse verificado que já nem tudo eram rosas e que algum descontentamento estava a vir ao de cima, não imaginava porém que, em poucos dias, o regime de Ben Ali cairia por terra. Tal acontecimento só prova que os regimes totalitários começam a ter os dias contados.
Mas, se por um lado nos podemos congratular com a eventual democratização de países como a Tunísia, não devemos porém deixar de nos preocupar com o que pode acontecer com a respectiva transição.
Quando o poder cai na rua, os países podem ficar à mercê de outro tipo de forças totalitárias ou até terroristas.
Os saques que se estão a verificar no Egipto são meio caminho andado para o que acabo de afirmar.
Outros países estão já na calha dos protestos, o Egipto, onde Mubarak está em sérias dificuldades para conter a revolta, com os Estados Unidos a retirarem-lhe cuidadosamente o tapete, a Argélia com Abdelaziz a ser já alvo de contestações, a própria Síria e até a Líbia.
Todas estas alterações no Norte de África e Médio Oriente podem transformar-se num autêntico barril de pólvora a que a União Europeia não pode nem deve ficar indiferente.
Com as economias em baixa, com as ondas de descontentamento e revolta que grassam por todo o lado, com a grande incógnita que é o gigante chinês, o Mundo não tem dias sorridentes pela frente, nos tempos mais próximos.
Hoje a luta já não é entre a ditadura e a democracia mas sim entre radicais e moderados!
JPL

domingo, 19 de dezembro de 2010

MOMENTO DE POESIA!!

NATAL DE UM POBRE
Natal, Natal, Natal! Mas o que é isso do Natal?
Pessoas loucas, correndo para tudo comprar?
Hipocrisia de uns tantos que vivem fazendo mal,
E que, nos finais de Dezembro, decidem parar?

NATAL? Mas que me importa a mim o Natal!
Se vivo remexendo o lixo que me traz alimento!
Para mim, calcorreando a noite fria, tudo é igual.
Mesmo os que me olham, vendo o que aparento.

NATAL! Quem o criou, quem alimentou o Natal?
Eu não! Não tenho ambições que me tirem o sono,
Nem sonhos de muito enriquecer, fazendo o mal..
Coitados, eles sim, mais parecem cães sem dono.. !

Tenho pena deles, sempre a correr atrás de nada!
Como se esperassem viver felizes até à eternidade,
Enquanto me ouvirem arrastar os pés na calçada!
Olha! Ali vão mais uns tantos rindo com vaidade!

Carregados de muitos embrulhos e mil fantasias!
Julgam-se muito felizes assim! Cabeças tontas !
Não sabem que o que os espera não são alegrias,
Mas uma justiça que, no final, lhes pedirá contas.
JPL



quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

PRESIDENCIAIS!!!

Se alguêm ainda poderia ter dúvidas elas desapareceriam com a falta de sentido de Estado dos candidatos do PC, do Bloco de Esquerda e da AMI. Neste momento o País precisa de honestidade, de competência e de sentido de Estado. São estas as qualidades que levarão CAVACO SILVA a ser eleito logo à primeira volta. É prreciso que os portugueses se não abstenham.
JPL

sábado, 27 de novembro de 2010

EUROPA...QUE FUTURO?

Penso mesmo que a União Europeia não terá grande futuro.
E muito menos agora, quando se encontra sem lideranças fortes como o foram De Gaulle, Willy Brandt ou Jacques Dellors que ainda poderiam ter um golpe de asa para tirar a Europa do fosso em que se encontra.
A Europa não soube criar uma alternativa ´suave´ao Estado Providência que ergueu durante quase meio século.
Durante todo esse tempo os europeus privilegiaram a procura do interesse material e pessoal. O materialismo e o egoísmo passaram a ser as grandes virtudes da vida moderna. Imaginava-se o crescimento como infinito enquanto o consumismo, esse sim, é que tem parecido nunca mais ter fim.
Os Europeus têm de convencer-se de que não mais haverá um Estado que dê protecção social do berço ao túmulo, e que tem de concorrer com gigantes como a China, onde os horários de trabalho provocam autentica escravatura da mão de obra e a protecção social é quase inexistente .
Enquanto isto não for compreendido pelos europeus a Europa continuará no buraco onde se encontra.
Em suma: ou a Europa arrepia caminho ou o seu futuro tornar-se-á muito sombrio.
JPL

sábado, 23 de outubro de 2010

SEM JUSTIÇA NÃO HÁ DEMOCRACIA.

A nossa justiça está no fundo do poço!
Se perguntarem aos portugueses quem é o Ministro da Justiça, 90% responderão que não sabem. Mas se lhe perguntarem o que acham da nossa justiça, 99,9% dirão que está péssima.
Ao longo dos últimos anos, neste campo da justiça, as montanhas têm parido sucessivamente ratos.
Foi a Operação Furacão, foi o Apito Dourado, está a ser o Casa Pia e foi, também agora, o caso Freeport, etc…etc.
É inadmissível que se percam anos sucessivos com investigações recheadas de constantes fugas de informação para depois se concluírem com sucessivos arquivamentos ou condenações fictícias.
E, todo o mundo sabe que a nossa justiça está profundamente influenciada pelos interesses partidários. As fugas de informação são, na maior parte dos casos, autenticas intervenções de cirurgia política.
Tem-se contribuído assim, para que se tenha instalado, entre os cidadãos comuns, a ideia de que, quando se trata de pessoas ditas ‘públicas’ a impunidade é a única certeza adquirida.Por isso também, a nossa Democracia continua doente. Sem um poder judicial forte, livre e independente não há, em bom rigor, DEMOCRACIA
JPL

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

ESCREVI EM 1/06/2008!!!!

Mudaram-se os tempos!...Mudemos também os nossos hábitos!
Começo por recordar hoje um ditado bem popular, em voga no anterior regime, que nos ensinava, de uma forma algo empírica, mas com alguma eficácia, a melhor maneira de combater as crises.
‘Produzir e poupar’! (mandava Salazar)
Hoje vivemos com o reverso da medalha. Produzimos pouco e esbanjamos muito!
Infelizmente é a prática mais comum em todos os patamares da nossa sociedade. Desde as estruturas do Estado até às famílias, não tem havido a mínima preocupação em combater o desperdício e aumentar seriamente a produtividade.
Nomeadamente nesta última década, foi o regabofe total, nada foi planeado, o rigor hibernou, as derrapagens sucederam-se, a ostentação campeou livremente, o apelo ao consumo foi permanente, o endividamento das famílias disparou sem que os governos alertassem para os perigos que tal comportamento continha.
Mudaram-se porém os tempos, e a crise do petróleo, que parece sem fim à vista, agravada com a subida dos preços de muitos alimentos, vai obrigar-nos a rever seriamente muitos dos nossos hábitos burgueses.
JPL

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

MOMENTO DE POESIA!!


AQUELE BEIJO!

Esse beijo que eu te dei
Naquela noite de luar..
Como aconteceu, não sei !
Só sei que me fez sonhar!

Foi de amor ou amizade?
Atracção física ou sexual?
Foi belo para a nossa idade
Foi amoroso, foi sensual..!

Lábios colados, mãos que acariciam
Olhos fechados, sonhando além…
Sonhos que se erguem em segredo

Almas que desejam ser felizes,
Corações se amando sem medo!
É o amor que não vai, mas vem!
JPL

domingo, 3 de outubro de 2010

PORTUGAL À BEIRA DA FALENCIA!

O Povo acordou, de um dia para o outro, com o País praticamente falido!
Terminou, finalmente, o sonho cor-de-rosa com que o Governo nos ia lentamente embalando.
Acabou-se o regabofe, agora passa a ser mesmo a sério ou então nem sequer haverá dinheiro para os salários de 2011.
E agora Zé…que mais nos irá acontecer?
Portugal está literalmente de tanga, contudo, em certos patamares da nossa sociedade civil, política e empresarial, tudo continua como se vivêssemos num mar de rosas e de prosperidade.
São frotas de carros novos de alta cilindrada, são prémios chorudos a gestores do regime, são altas indemnizações a quem se demite por vontade própria, são centenas de gestores de empresas municipais apenas para garantirem ‘tachos, a amigos, são festas e artistas pagos por autarquias com o dinheiro dos contribuintes e imaginem, o maior número de telemóveis vendido, etc. etc.Mas, o mais triste disto tudo, é que todos sabíamos que, mais tarde ou mais cedo, isto viria a acontecer. Parece que só o Governo é que não via a realidade. Ou então a estratégia era outra e saiu furada.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

QUE JUSTIÇA TEMOS NÓS????

A nossa justiça está no fundo do poço!
Se perguntarem aos portugueses quem é o Ministro da Justiça, 90% responderão que não sabem. Mas se lhe perguntarem o que acham da nossa justiça, 99,9% dirão que está péssima.
Ao longo dos últimos anos, neste campo da justiça, as montanhas têm parido sucessivamente ratos.
Foi a Operação Furacão, foi o Apito Dourado, está a ser o Casa Pia e foi, também agora, o caso Freeport, etc…etc.
É inadmissível que se percam anos sucessivos com investigações recheadas de constantes fugas de informação para depois se concluírem com sucessivos arquivamentos ou condenações fictícias.
E, todo o mundo sabe que a nossa justiça está profundamente influenciada pelos interesses partidários. As fugas de informação são, na maior parte dos casos, autenticas intervenções de cirurgia política.
Tem-se contribuído assim, para que se tenha instalado, entre os cidadãos comuns, a ideia de que, quando se trata de pessoas ditas ‘públicas’ a impunidade é a única certeza adquirida.
Por isso também, a nossa Democracia continua doente. Sem um poder judicial forte, livre e independente não há, em bom rigor, DEMOCRACIA.
JPL

segunda-feira, 31 de maio de 2010

MOMENTO DE POESIA!!


ARDINA DE LISBOA

Rua acima, saca a tiracolo,
Espalhando novas ao vento,
Este ardina de Lisboa,
Enquanto uma canção entoa
Não descansa um momento!

Eis o Ardina!
Que alegria se sente,
Quando ele sobe a rua
Com o rosto tão contente!
Sorrindo sempre a Lisboa
Passa pela Madragoa,
Descansa no Intendente!

Olha o desastre!
O meu Benfica é o maior!
Já ganhou o campeonato
A Taça virá a seguir!
Quando passo por um lagarto
Dá-me vontade de rir.

Eis o Ardina!
Que alegria se sente,
Quando ele sobe a rua
Com o rosto ............!



Quando à noite já cansado,
Bebe ginjinha no Rossio,
E vai ouvir cantar o fado
No Bairro Alto seu pousio!
Depois, já pela madrugada,
De mansinho abre a porta,
Com saudade da sua amada!


Eis o Ardina!
Que alegria se sente,
Quando ele sobe a rua
Com o rosto tão contente!
Sorrindo sempre a Lisboa
Passa pela Madragoa
Descansa no Intendente!

JPL

PRESIDENCIAIS!!

AS PRESIDENCIAIS COMEÇAM A AQUECER!
Como se esperava, Alegre renovou a sua candidatura e Cavaco vai seguir-lhe o caminho.
Se em relação a Manuel Alegre se esperavam os ricochetes que as suas tomadas de posição na Assembleia da República e não só, com tons muito críticos em relação ao PS, já em relação a Cavaco se esperava toda uma serenidade em torno da sua recandidatura. Porém, tal não está a acontecer, como adiante veremos.
Efectivamente, Manuel Alegre, pese todas as manobras de bastidores que têm sido levadas a cabo pelos Soaristas, vai acabar por ter o apoio oficial do Partido Socialista.
Vai ser um apoio envergonhado, onde muitas vozes se distanciarão e muitos votos se perderão.
As estruturas do PS, mais a Norte, tudo o indica, não se irão empenhar em força na campanha e não faltarão sopros tentando desviar o voto para Fernando Nobre ou até para Cavaco.
Acresce a tudo isto o facto de Manual Alegre estar entalado entre uma colagem demasiado próxima do Governo ou um distanciamento visível que ainda agravará mais os ânimos dos socialistas.
Cavaco Silva ao querer agradar a Gregos e Troianos deu um tiro no pé ao não vetar os casamentos ‘gay’. Os fundamentos do não veto não agradaram ao sector mais conservador da sua base de apoio, nomeadamente aos mais ligados à Igreja Católica que se começaram desde logo a movimentar.
O próprio Cardeal Patriarca, D. José Policarpo, fez declarações de certo modo violentas contra a posição de Cavaco Silva e as movimentações não se fizeram esperar, chegando ao ponto de terem convidado António Bagão Félix como candidato alternativo.
Sou amigo pessoal de Bagão Felix, homem competentíssimo e integro, contudo penso que seria uma candidatura suicida, ainda bem que ele o compreendeu.
Posto isto, concluo dizendo que Cavaco Silva tem todas as condições para renovar mais um mandato e, para bem do País, é bom que tal aconteça .
JPL

quinta-feira, 27 de maio de 2010

RECORDANDO O QUE ESCREVI EM 2008!

O DESEMPREGO! Preocupação primeira.
É alarmante o aumento do número daqueles que, dia após dia, vão ficando sem trabalho por verem as empresas, onde trabalhavam, encerrarem as suas portas.
Sei que a crise é grave e muitas empresas não têm resistido ao seu impacto, mas, a meu ver, também está a haver muito oportunismo por parte de alguns empresários que não querem perder umas migalhas das grandes fortunas que acumularam, ao longo dos anos, com o suor dos trabalhadores que os serviram.
O Governo tem tomado algumas medidas positivas, se bem que escassas, para a dimensão do problema. Seria bom que estivesse também atento aos empresários que encerram as suas empresas mesmo quando o exercício do ano transacto apresentou lucros avultados.
Com uma taxa efectiva de desemprego a ultrapassar a barreira dos 10% ninguém pode estar, de consciência tranquila, a ver a ‘banda passar’.
Estamos a ficar com o país dividido entre os que tem emprego e os desempregados.
Há pois que tomar medidas drásticas para que não sejamos confrontados com uma explosão social incontrolável.
Há que privilegiar, desde já, o apoio às famílias cujos dois cônjuges fiquem desempregados.
Em suma, nunca a solidariedade foi tão necessária como o é hoje!
Talvez agora façam falta os milhões gastos no BPN e no BPP!
2009-02-08
Pereira Lopes

MEDITANDO!!!!!

QUANDO SE FAZ AQUILO QUE SE PODE, FAZ-SE AQUILO QUE SE DEVE! (Adaptado)
NUNCA SE É TÃO FELIZ OU TÃO INFELIZ COMO SE IMAGINA! (Adaptado)
AMAR NÃO É OLHAR UM PARA O OUTRO, É OLHAR JUNTOS NA MESMA DIRECÇÃO! (Antoine Saint-Exupéry)

quarta-feira, 5 de maio de 2010

MOMENTO DE POESIA!!


VARINA DE LISBOA

Olhar ladino e com a anca a dar a dar,
Vendendo sonhos na canasta à cabeça,
Por essas vielas apregoando a cantar,
Deixa sorrisos e promessas de voltar!

Olha o cachucho o carapau e a sardinha,
Ó freguesas! Como isto melhor não há !
Compre, compre, tal como a sua vizinha,
Que me comprou e me quer de volta cá!

E sempre alegre, de rua em rua a olhar,
Como que buscando alguma alma perdida,
Já que ninguém lhe cura as marcas da vida,
Vai sorrindo, sempre a olhar para o mar !

Quando à noitinha já cansada desse andar,
Voltando a casa para seu corpo descansar,
Vê o ‘Chico’ que a espera numa esquina.
Larga um largo sorriso e põe olhar brejeiro
Prometendo dar-lhe amor e corpo inteiro.

JPL

segunda-feira, 3 de maio de 2010

*A HORA DA UNIÃO EUROPEIA!
Encontra-se a União Europeia perante o maior desafio da sua existência! De tal modo que, se o não conseguir vencer, estará em risco a moeda única (Euro) e a sua própria sobrevivência.
E o desafio não é tão fácil de vencer como se pode supor. Os pontos fracos da Europa começam a surgir e são mais do que se imaginava.
Para além da tragédia Grega outros perigos espreitam. Portugal encabeça o pelotão desses perigos, a Espanha segue-se-lhe e o Reino Unido começa também a dar sinais de fraqueza, com os Conservadores a avançarem nas suas posições anti-moeda única.
Como os Estados Unidos também não esquecerão a falta de solidariedade que a Europa tem tido para com eles, resulta que ela ficará entregue a si própria.
E, entregue a si própria e sem lideranças fortes como o foram Kooll ou Dellors, a UE começará a perder gradualmente influência e o Euro a perder igualmente o terreno que havia conquistado até aqui, mostrando assim a sua debilidade estrutural.
Aliás, os sinais começam já a ser por demais evidentes. Os alemães começam a torcer o nariz à ajuda à Grécia, chegando mesmo ao ponto de, alguns deputados de Berlim, terem aconselhado os Gregos a venderem algumas das suas ilhas para pagarem as suas dívidas, ao que os gregos responderam, que lhes devolvam o dinheiro roubado pelos nazis.
Estas trocas de acusações revelam bem a crescente discórdia que vai reinando na União Europeia, a braços com os seus enormes problemas económicos e sociais.
Embora ainda esteja a fazer um derradeiro esforço para se reequilibrar, com a criação de um Fundo Monetário Europeu (FME) que possa fazer valer as suas regras e discipline os países membros da zona euro, a UE vai ter de enfrentar momentos muito difíceis nos próximos tempos.
As convulsões sociais vão surgir e, de uma coisa apenas poderemos ter a certeza: dificilmente a Europa voltará a ser o que era.
JPL

sexta-feira, 16 de abril de 2010

A GESTÃO DOS NOSSOS DINHEIROS!!!


Segundo o jornal Público, o negócio que levou Luis Figo a apoiar o Eng. Sócrates, envolverá verbas que atingem o 2 milhões de euros e que foram assumidas pela TAGUSPARK. É um escandalo que não pode ficar esquecido no saco das investigações ou da justiça. Brincar com os dinheiros públicos é brincar com a dignidade dos Portuguêses.
JPL

sábado, 10 de abril de 2010

A ALTERNATIVA!

PSD! - Finalmente uma alternativa de Governo!
Quer gostemos quer não, a verdade é que o País esteve atento ao que se passava no Congresso do PSD. E esta, talvez exagerada, mediatização do Congresso deve-se ao facto de, a generalidade dos portugueses, estar desejosa de uma alternativa credível ao Governo do Eng.º. Sócrates.
E essa alternativa surgiu finalmente pela mão de Pedro Passos Coelho que, inesperadamente, obteve uma vitória, cuja expressão ultrapassou as mais optimistas previsões. Ainda bem que assim foi, porque ninguém lhe poderá agora contestar a legitimidade da liderança.
A sua primeira intervenção foi sensata e positiva. Foi o primeiro passo para a reconciliação dentro do seu próprio partido. Condição indispensável para vencer as lutas que se seguirão.
Ultrapassada que foi a batalha das directas, tem agora, Pedro Passos Coelho, uma outra batalha não menos importante e que é a da constituição da sua equipa. E ele sabe que, para ganhar credibilidade, é necessário que se rodeie de pessoas acima de toda e qualquer qualquer suspeita.
Certamente vai ter de deixar cair alguns dos seus apoiantes!? Mas uma liderança forte tem destes custos.
Passos Coelho só será Primeiro-ministro se perceber isto e se se mantiver acima de qualquer suspeita, combatendo com vigor toda e qualquer promiscuidade entre a política e os negócios, e assumindo-se como um verdadeiro líder de combate à corrupção.
Se for assim, o Eng.º. Sócrates vai finalmente ter uma oposição que não lhe vai dar tréguas e, as próximas sondagens, já revelarão algo de diferente das últimas que foram publicadas.
Era de uma verdadeira oposição, responsável mas também corajosa, que o actual quadro parlamentar necessitava. Espero e desejo que Pedro Passos Coelho não defrauda os militantes do PSD em particular e os Portugueses em geral.

SEMPRE A CRISE!!!!!

A crise veio para ficar!
Por mais que o Governo se esforce por ‘dourar a pílula’ a realidade é só uma – a crise está para ‘lavar e durar’. E nada melhor do que falar claro aos portugueses para que nos possamos ir habituando a viver de acordo com as nossas possibilidades.
O défice de 2009 foi parar aos 9,4%, a dívida está como sabemos, o desemprego ultrapassou os 10%.
Quanto ao PIB, relembro que nos últimos 10 anos apenas crescemos em média 1,1%, isto é, menos de metade do que havíamos crescido entre 1992 e 1998. Fomos o país europeu da moeda única que maior quebra teve no crescimento do PIB.
Por tudo isto, alguns economistas insuspeitos da nossa praça começam a manifestar uma grande preocupação quanto ao nosso futuro. Já não falo em Medina Carreira, mas refiro Silva Lopes, Vítor Constâncio, Hernâni Lopes ou mesmo João Ferreira do Amaral.

quinta-feira, 25 de março de 2010

MOMENTO DE POESIA!!

O MEU SIGNO

Nasci com um vento Norte..
Meu signo é signo de morte.
Por estranha contradição..
É também o da recriação.
Meus planetas? Marte e Plutão,
Dão-me muita força interior,
E muita combatividade..
Enfrento a vida com frontalidade,
Cultivo a amizade e o amor.
E também a fraternidade;
Aprecio sempre a gratidão
Neste mundo em degradação.
Detesto a mediocridade,
A inveja e a deslealdade.
Do Sol e da Lua
Vem-me a espontaneidade,
A sensibilidade, a alegria
E também a melancolia.
‘Tudo ou nada’ é meu lema.
Sou de extremos! Pois então!
Sou do signo Escorpião!
JPL

FINALMENTE SENTIDO DE ESTADO???

O PS e o PSD iniciaram ontem negociações com vista a encontrarem uma plataforma de entendimento que dê credibilidade ao PEC, não só junto das Agências de Ratting mas também junto da UE. Seria bom que o comportamento dos partidos tivessem sempre em conta o superior interesse nacional, o que raras as vezes acontece. Esquecem-se que as Agências de Rattingo ou a UE se estão borrifando para as nos tricas partidárias. Espero que saibam dar um bom exemplo do que é 'ter sentido de Estado'
JPL

sexta-feira, 12 de março de 2010

OS VENTOS NÃO NOS SÃO FAVORÁVEIS!

Os dados do INE referentes ao evoluir da nossa economia não são nada optimistas. Há mesmo quem preveja a possibilidade de que Portugal entre de novo em recessão técnica.
Daí que, cada vez mais, se justifica um amplo consenso nacional para enfrentar a crise. Porém parece que a classe política continua a olhar para o seu umbigo.

quinta-feira, 4 de março de 2010

MOMENTO DE POESIA!!

CHORAR
Já chorei por quem nunca teve amor.
Chorei pelos que não têm família
E também pelos que sofrem com dor
A perda de um ente muito querido.
Chorei por um amor que perdi
E, por amigos, que vi partir..
Chorei pelos que, sem esperança,
Já nem sequer conseguem sorrir…
Chorei por crianças abandonadas
Que nada fizeram de mal…
Apenas nasceram, coitadas..
Mas sofrem injustiças sem igual.
Dizem que é feio um homem chorar
Nunca vi maior maior contradição
Penso mesmo que só não chora
Quem não tem amor no coração!
JPL

NADA CORRE BEM NESTE PAÍS!

Quer queiramos quer não, o País tem estado com os olhos postos no PSD. Desejando, tenho a certeza, que das próximas eleições directas sai uma liderança forte e credível que possa constituir uma alternativa ao actual Governo. Porém, o que se está a verificar é o contrário. Já há 4 candidatos, o que não augura nada bom!!! Corre-se assim o risco de sair uma liderança fragilizada que em nada servirá os interesses da própria democracia.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

QUE MUNDO NOS ESPERA???

O prémio Nobel da Economia, Robert Pogel, acaba de publicar um estudo quenos conduz a interrogações preocupantes.
Segundo ele, em 2040 o PIB Chinês atingirá os 123 000 milhões de dólares, ou seja 40% do PIB mundial.
Por seu lado, os Estados Unidos ficar-se-ão pelos 14%. Assim, daqui a 30 anos, a China será, de longe a maior potencia mundial sem ter recorrido à força das armas.
JPL

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

CONDECORAÇÃO

Não sei se merecia tão alta distinção, mas seria hipócrita se não dissesse que me senti muito honrado ao receber, no passado Sábado, das mãos de Sua Excelência o Presidente da República, na capital do meu Distrito, as insígnias de Grande-Oficial da Ordem de Mérito. Como sei que nenhum homem faz nada sózinho, dedico esta condecoração à minha família, a todos os meus amigos(as) bem como a todos os BEIRÕES do Distrito de Castelo Branco.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

BELEZAS DO MEU CONCELHO!



Localizada a 14 km do Centro Histórico, na costa sintrense.
As Azenhas do Mar, uma aldeia com uma falésia pitoresca, é um dos locais mais apreciados do litoral sintrense. Quadro deslumbrante, com o seu belo casario descendo pelas arribas em cascata, o pitoresco do vale em que está situada e o mar a seus pés desenhando piscinas naturais recortadas na rocha.Um dos seus principais pontos de interesse são as piscinas escavadas na rocha.
JPL

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

MOMENTO DE POESIA!!


BALADA DO POVO QUE PASSA
Pergunto ao Povo que passa
Que pensa do seu País…!
O Povo, sente a devassa
E o Povo já nada diz!

Em silêncio cala a revolta
Com medo de ser infeliz..
A esperança ainda lhe volta
Quando olha o seu petiz!

Ele sabe desta bandalheira,
Em que se move o poder.
Já é tão grande a asneira…
Que sente vontade de bater!

Exclama enraivecido e triste
Pensando em tanta desilusão
Há sempre alguém que resiste
E este Povo um dia, dirá não!
JPL




domingo, 24 de janeiro de 2010

O PAÍS DO FAZ DE CONTA!

Era uma vez um Orçamento de Estado em que todas as forças polí-
ticas faziam de conta que estavam muito interessadas.
O PS fazia de conta que estava muito interessado em que o Orçamento passasse quando na realidade desejava o seu chumbo para daí tirar dividendos.
O PSD fazia de conta que queria chumbar o Orçamento quando efectivamente o que ele temia era a sua reprovação para não lhe ser assacado o odioso de uma crise.
O CDS fazia de conta que era muito importante a sua opção quando na realidade para as instâncias internacionais de nada valia a sua posição.
O restantes partidos faziam de conta que queriam derrotar o PS e o seu Orçamento quando na realidade rezavam para que o PSD e o CDS o viabilizasse.
No meio disto tudo talvez o menos satisfeito com o desfecho tenha sido o próprio PS.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

ORÇAMENTO DO NOSSO DESCONTENTAMENTO!

ONDE ANDA O PSD? O maior partido da oposição não tem acertado uma, nos últimos tempos. Quando tinha a faca e o queijo na mão, meteu-se em sarilhos ao ensaiar uma negociação com o PS com vista à aprovação do Orçamento. Claro que o PS aproveitou e bem este erro e logo veio a público dizer da irresponsabilidade das propostas do PSD.
Sempre afirmei que a posição do PSD devia ser de distanciamento do Orçamento, anunciando antecipadamente que se iria abster, para deixar ao PS a possibilidade de provar que, com o seu Orçamento, iria resolver a crise do país. Matava assim dois coelhas de uma cajadada retirando também protagonismo ao CDS. Onde estão os estrategas do PSD?
JPL

domingo, 17 de janeiro de 2010

O SABER NÃO OCUPA LUGAR!

JPL
'NÃO PERCEBO PATAVINA' - Esta expressão deve-se ao facto de, quando os Frades provenientes de Pádua, chamados 'patavinos' vinham a Portugal visitar os seus colegas e tentavam falar com pessoas do Povo, ninguém os percebia. Ninguém percebia os patavinos.
'MAL E PORCAMENTE'- A expressão inicial era 'MAL E PARCAMENTE' ou seja com muito poucos recursos. Entretanto a referida expressão alterou-se de forma a tornar-se mais popular.
JPL

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

SEMPRE A CRISE!!!

A CRISE!
A crise tem continuado a ser a culpada de todos os nossos males e, pelos vistos, continuará a ser a desculpa nos tempos mais próximos.
É óbvio que ela não nos veio dar ajuda nenhuma. Mas também é óbvio que os nossos males não irão ser resolvidos com o abrandar da crise.
Os nossos males têm origem estrutural e é nisto que os Dirigentes políticos devem pensar seriamente e sem demagogias.
Quais as reais prioridades para o País? (não as de alguns grupos económicos)
Como combater a nossa baixa produtividade?
Como atacar o endividamento?
Como acabar com o consumismo excessivo?
Etc..etc..Estas são algumas das perguntas a que o líderes partidários não têm sabido ou não têm querido responder...o resto são tretas.
JPL

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

MOMENTO DE POESIA!!


O NOVO RICO
Quero lá saber se gostam..!
Quero lá saber se criticam..!
Faço o que me dá na gana..
Mesmo que seja na cama..
Formalismos já se não usam!
Vénias e curvas também não.
Se vierem donzelas que fujam
Antes que eu lhes dê apalpão.
Uma espreguiçadela na cadeira
Um arroto de bem disposto…
Será sempre uma maneira
De demonstrar bom gosto..!
E se me descuidar no assento
Posso sempre olhar admirado,
Dizendo que senti um vento,
Que me veio de outro lado..
Com um palito entre os dentes
Saboreando assim recostado
Serei, por todos os presentes,
Um homem muito respeitado.
JPL


PERGUNTA (IM)PERTINENTE!


ESTARÁ O NOSSO PLANETA A AQUECER?

JPL

INTEMPÉRIES....!


Parque de Campismo de Santa Cruz.

sábado, 9 de janeiro de 2010

MOMENTO DE POESIA!!

VIVER A VIDA
Eu sei que não sou perfeito…!
Cometi muitos erros na vida..!.
Mas tenho este maravilhoso jeito..
De saber perdoar logo de seguida.

Já amei quem não me merecia
E esqueci quem não devia..!
Já magoei quem de mim gostava
E não reconheci quem me amava.

Já dei a mão a quem me ultrajou
E não agradeci a quem me ajudou.
Já abracei e beijei por um amor..
E chorei, por o perder, com dor!

Mas, cabeça ao alto, sigo em frente!
Nesta ânsia de continuar a viver…
Amando e perdoando a toda a gente
Que me alegrou ou até me fez sofrer!
JPL




quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

PRIORIDADES GAYS...!

QUE PRIORIDADES PARA O PAÍS?
Não sou dos que reagem à flor da pele contra os Gays e as suas opções de vida privada.
Mas também não tento fingir que sou um intelectual vanguardista de esquerda e me ponho em bicos dos pés a gritar: 'Vivam os Casamentos Gays'.
Para além de achar que, colocar este tema como prioridade nacional é uma afronta a quem, nesta altura, está mais preocupado em encontrar ou manter o emprego ou até com o seu futuro e dos seus filhos, também acho que é uma subsersão completa de um dos pilares da nossa cultura, que é o CASAMENTO.
Para aqueles que entendem que, não aprovar este tipo de casamento, é uma discriminação intolerável, pergunto:
Porque não se pode um homem casar simultaneamente com mais de uma mulher?
Ou uma mulher com mais de um homem?
Não será isto também uma discriminação?
Que motivações ou razões poderosas levam a que, por exemplo. se não aceite a proposta do PSD que, do meu ponto de vista, resolveria alguns problemas fiscais aos interessados?
Ou será que os partidos apoiantes desta ridicula causa acham que ela vai resolver o problema da baixa natalidade em Portugal?
JPL

domingo, 3 de janeiro de 2010

MENSAGEM DE ANO NOVO!

Foi uma Mensagem clara, incisiva e acusadora!
Cavaco Silva foi de facto o Presidente de que estavamos à espera! Denunciou o estado catastrófico em que se encontra o País, e fê-lo sem rodeios. Desde a economia à Justiça, passando pela degradação de pilares fundamentais da nossa sociedade.
Apontou ainda o dedo aos dirigentes políticos e à sua incapacidade para colocarem os interesses do País acima do dos seus partidos. Aguardemos agora os efeitos desta gritante chamada de atenção.
JPL

domingo, 27 de dezembro de 2009

MEDITANDO!!!!!

A VIDA NÃO É TRISTE MAS TEM HORAS MUITO TRISTES!
(Romain Rolland)
TODA A GENTE DESEJA VIVER MUITO TEMPO, MAS NINGUÉM DESEJA SER VELHO!
(Jonathan Swift)
APRENDI QUE UMA VIDA NÃO VALE NADA, MAS TAMBÉM QUE NADA VALE UMA VIDA!
(André Malraux)

JPL

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

ESPÍRITO DE NATAL!

O MEU NATAL!
Este ano, circunstâncias da minha vida pessoal, fizeram com que a minha noite de Natal fosse diferente, mas, igualmente Feliz!
A minha consoada foi passada com amigos. Amigos que, não tiveram a sorte e a felicidade que eu tive ao longo da vida.
Para eles a vida foi madrasta. Não têm família que os acarinhe, nem tecto que os abrigue. São os chamados ‘SEM-ABRIGO’. As prendas trocadas, foram os sorrisos e os abraços. Todos eles sinceros.
E, pelo menos nesta noite de Natal, sentiram alguma felicidade. Pairou ali o verdadeiro espírito de Natal.
Lá fora ouvia-se o barulho do consumismo, do egoísmo e da hipocrisia, contrastando com a calma consubstanciada numa solidariedade, pobre, mas sincera.
JPL